Aos Pais Divorciados, Um Pedido de Proteção aos Seus Filhos!

Após o divórcio, os adultos buscam ajuda, buscam seus parentes, seus amigos, profissionais e seguem na vida, como deve ser, no desenvolvimento de seus potenciais, no aprimoramento das suas aptidões, na dedicação aos seus lazeres e, em geral, na construção de outras famílias.
Assim fazem os adultos após o divórcio.

Os filhos do divórcio, o seu maior suporte são os seus próprios pais, o pai, a mãe e, muitas vezes os avós e os tios; entretanto, eles não sabem a direção melhor e, se os seus pais falharem nas suas necessidades básicas de afeto, esclarecimentos, diretrizes e suprimentos ainda mais básicos, os filhos do divórcio estarão certamente desprotegidos.

Muita já se falou da importância que os pais devem dar aos seus filhos, desde os primeiros conflitos do casal, até o momento do divórcio, muito já se fala da alienação parental mas, pouco se fala ainda dos prejuízos causados na vida dos filhos por pais aparentemente tranquilos mas, que nas suas individualidades, sem dar margem à situações que desde logo se consideram ruins, atualmente na calada de seus e-mails, de seus celulares, das suas mensagens, minam o bom desenvolvimento das crianças.
Neste caso, se os filhos não têm amadurecimento suficiente para filtrar as notícias que recebem de seus pais, estes pais criam verdadeiras “ novelas “ de acusações, troca de insultos, de ameaças veladas…

Os adultos devem propiciar condições de um desenvolvimento normal aos seus filhos, eis que a eles cumpre este dever e cumprem todas as obrigações de suprir as necessidades de toda ordem das crianças, dever legal, dever ético, dever moral e, também um dever social, porque serão estas crianças no futuro que poderão gerir um dia-a-dia sem violência, uma qualidade de vida harmoniosa.

Muitos pais buscam Advogados; outros saem à procura de Psicólogos, ainda os médicos orientam para medicamentos e os Professores para profissionais de toda ordem: tudo vale!

O mais importante: a presença dos próprios pais na rotina de seus filhos, nos momentos mais difíceis das suas vidinhas, na orientação dos estudos, na construção de um trabalho escolar, no médico, no dentista e nas festinhas da Escola, nas festinhas dos amigos, nas Festas de Aniversário, na leitura para um bom sono e nos momentos importantes daquele grupo familiar, é a presença dos pais em convívio pacífico que trará aos pequenos e jovens a amplitude necessária ao seu bom crescimento.

Os pais devem ser conscientizados para os efeitos do Divórcio na vida de seus filhos, ante a situação complexa que é criada com o rompimento da união civil de um casal , cada uma com as peculiaridades e particularidades do seu próprio grupo familiar, os pais devem estar preparados mesmo sobre como devem agir a partir e após o Divórcio, entendemos que os pais devem a partir daí se desdobrar em atenção e em cuidados com as crianças e jovens, não apenas para suprir as suas necessidades básicas materiais como, em especial para fornecer-lhes uma proteção afetiva e de estímulos de toda boa espécie, tudo para não lhes tirar a chance de uma vida adulta feliz.